A importância da inspeção em tubulações

API 570: código de inspeção de tubulação

67

API 570:2016 – Piping Inspection Code: In-service Inspection, Repair, and Alteration of Piping Systems cobre a inspeção, a classificação, a reparação e os procedimentos de alteração de sistemas de tubulações de plástico reforçado com fibra de vidro e metálicas, e seus dispositivos de alívio da pressão associados que foram colocados em serviço. Este código de inspeção aplica-se a todas as tubulações no processo de hidrocarbonetos e produtos químicos cobertos.

Esta publicação não cobre a inspeção de equipamentos especiais incluindo instrumentos, tubos permutadores e válvulas de controle. No entanto, este código de tubulação poderia ser usado pelo proprietário/usuários em outras indústrias e outros serviços a seu critério.

Os sistemas de tubulações de processo que foram retirados de serviços e abandonados no local não são abrangidos por este código de inspeção de serviço. No entanto, quando abandonadas no lugar, a tubulação ainda pode precisar de uma certa inspeção e/ou mitigação de riscos para garantir que não se torne um risco de segurança no processo por causa da contínua deterioração.

Os sistemas de processo dos tubos, que estão temporariamente fora de serviço, mas foram desativados (preservados para uso potencial no futuro), estão abrangidos por este código. A sua intenção é para especificar a inspeção em serviço e um programa de monitoramento de suas condições, bem como orientação de reparação que é necessária para determinar e manter a integridade em curso de sistemas de tubagens.

Esse programa deverá fornecer avaliações razoavelmente precisas e oportunas para determinar se quaisquer alterações na condição da tubulação poderia comprometer a operação contínua e segura. É também a intenção deste código que os proprietários/utilizadores devem responder a quaisquer resultados da inspeção que requerem ações corretivas para garantir a integridade contínua da tubulação de acordo com uma análise de risco adequada.

A API 570 é destinada ao uso para organizações que mantêm ou têm acesso a uma agência de inspeção autorizada, uma organização de reparação, e os engenheiros de tubulação tecnicamente qualificados, os inspetores e os examinadores, todos conforme definido na Seção 3.

Na verdade, ao projetar uma tubulação para transferência de líquidos há muitas as opções para colocar o projeto em prática. Para cada finalidade de tubulação existem mangueiras e tubos com o material certo.

Essa opção é muito importante para o sucesso e durabilidade do sistema de tubulação. Para que a aplicação dê certo, é preciso tomar alguns cuidados na hora de optar por um tipo de material ou outro.

Em suma, o projeto deve buscar um material que traga o melhor custo/benefício sem oferecer riscos à segurança dos colaboradores e do meio ambiente pois, estes processos podem transportar fluidos altamente agressivos. Fatores como, pressão, temperatura, fluido a ser transportado, disponibilidade de espaço, facilidade da montagem e encaminhamento da linha, são os principais na hora da escolha.

Um sistema de tubulação depende de alguns fatores. Por exemplo, a especificação correta dos materiais do sistema, observando todos os critérios de dimensionamento, processo seletivo de fornecedores com rígido padrão de qualidade, exigência de fornecedores com laboratório completo aferido para os ensaios pertinentes, exigir que o fabricante mantenha estrutura para pré e pós-venda e diversidade do estoque do fornecedor. As tubulações podem ser construídas com dutos em PVC, cobre, CPVC, galvanizado, PPR e PEAD. Dentre todos estes, os tubos em PEAD, polietileno, é um dos mais usados na transferência de águas e efluentes.

A escolha do material, está diretamente ligada ao tipo de substância que passará pelos dutos e a pressão que será exercida na tubulação. Deve-se mapear com maior detalhe possível as condições de trabalho da tubulação. Posteriormente, selecionar o produto mais adequado para aquele líquido e principalmente atentar para a pressão de trabalho e ruptura.

Muito importante também é proceder corretamente quando necessário executar emendas e engates. Deve-se levar em conta que dentro de um mesmo processo de tratamento pode se conduzir fluidos com agressividade e temperaturas diferentes.

Esta publicação não abrange a inspeção de equipamento especializado, incluindo instrumentação, permutador, tubos e válvulas de controle. No entanto, este código de tubulação pode ser usado pelos proprietários/usuários em outras indústrias e outros serviços a seu critério. Pode-se ressaltar que, por mais abandonado que esteja a tubulação pode-se ainda precisar de alguma inspeção e/ou mitigação de risco para assegurar que não se torne um risco de segurança do processo devido à deterioração.

A intenção deste código é especificar o serviço em um programa de inspeção e monitoramento de condições, bem como levar a orientação necessária para determinar e manter a integridade contínua dos sistemas de tubulação. Esse programa deve fornecer informações razoavelmente precisas e oportunas para avaliações e determinar se alguma alteração na condição de tubulação poderia comprometer-se continuamente a segurança da operação.

Deixe seu comentário aqui...